Mercado Imobiliário
06 de fevereiro de 2019

Mercado logístico brasileiro fecha 2018 apontando sinais de retomada

O mercado logístico A e A+ brasileiro já demonstra sinais de recuperação. A absorção líquida fechou o ano em 647, 2 mil m², um volume 3,6 vezes maior em comparação a 2017. A taxa de vacância, por consequência, teve queda de 2,8 p.p ao longo do ano, fechando o último mês de dezembro em 22,8%. O preço médio pedido nacionalmente para locação registrou desvalorização, passando de R$ 19,71 (dezembro de 2017) para R$ 19,43 (dezembro de 2018).

“Para 2019, esperamos que o ritmo forte de absorções e entregas se mantenha, bem como uma estabilização do preço pedido”, afirma Jadson Mendes Andrade, Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul. Segundo ele, “daqui para frente veremos mais nitidamente a retomada do mercado logístico, acompanhando o crescimento do setor varejista e de empresas do segmento do e-commerce, o que significa maior demanda por novos galpões e por espaços vagos já existentes”.

São Paulo

A absorção líquida no mercado industrial A e A+ do Estado de São Paulo fechou o ano com saldo positivo de 368,5 mil m². As regiões que mais contribuíram para esse resultado foram Cajamar, com 106 mil m², e Guarulhos, com 77,6 mil m². Esse grande volume de absorção líquida refletiu numa queda anual de 2,5 p.p na taxa de vacância, passando de 25,2% para 22,7%, em dezembro. Na média, o preço pedido para locação recuou 2,9%, entre janeiro e dezembro, partindo de R$ 19,59 para R$ 19,03. Foram entregues, ao longo do ano, 221,3 mil m² de novo estoque. “Já percebemos novas movimentações com expansões acontecendo e a expectativa é de que os preços fiquem estáveis neste ano”, afirma Mendes.

 

Rio de Janeiro

O mercado logístico do Rio de Janeiro ainda sofre com a recessão e com a crise interna que tem afastado os investimentos no Estado. Mesmo com esse cenário, houve uma pequena melhora em relação ao desempenho de 2017. A absorção líquida foi de 26,4 mil m² entre janeiro e dezembro, contra um índice negativo de 34,6 mil m² no mesmo período do ano anterior.

O preço médio pedido para locação nas Classes A e A+ registrou queda entre janeiro e dezembro de 2,8%, fechando 2018 em R$ 20,99. A taxa de vacância sofreu alta anual de 3,2 p.p, encerrando dezembro em 31,6%.  “Os preços tendem a continuar caindo este ano devido ao alto volume de espaços vagos no Estado”, explica o Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado.

Cadastre-se e receba nossa newsletter